REPERTÓRIO ATIVO

ÁGUA DOCE

Água Doce aborda a relação do homem com os rios e córregos das cidades e é inspirada pela cultura popular, lendas indígenas e mitos ribeirinhos e nordestinos.

Espetáculo vencedor do Prêmio APCA, como MELHOR ESPETÁCULO DE RUA. E indicado ao VII Prêmio Aplauso Brasil de Teatro, na categoria MELHOR ESPETÁCULO PARA O PÚBLICO INFANTIL E JOVEM, e também a 3 categorias ao Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem: PRODUÇÃO, REVELAÇÃO e PRÊMIO SUSTENTABILIDADE!

PÉ DE VENTO

Na peça, o público é convidado a tirar seus sapatos, caminhar por um túnel e adentrar num confortável ambiente inflável. Já dentro deste lugar, participantes e artistas criam, performam, realizam jogos e cenas. Múltiplas experiências sensoriais e brincantes criam um universo lúdico construído junto com crianças e adultos.

O espetáculo foi contemplado com o PROAC – Produção de Espetáculo Inédito e Temporada de Artes Cênicas para o Público Infantil e/ou Juvenil.

Texto inspirado livremente nos poemas de Manoel de Barros.

ZABUMBA

Musical baseado na festa do Bumba-meu-Boi. Nesta história Catirina e Bastião são mestres de cerimônia, que junto com os músicos, apresentam inúmeros personagens folclóricos, como a sereia, o sapo cururu, a caipora, o valente valentão entre outros.

 

Os treze bonecos, com diferentes técnicas de manipulação, e os doze personagens, representados por dois atores que realizam trocas de figurinos de forma dinâmica, dão o tom da picardia necessária para manter a alegria e vibração da festa do Bumba-Meu-Boi.

O Zambumba conquistou diversos prêmios durante sua história: Prêmio APCA, Prêmio Coca Cola de Teatro Jovem e Prêmio Mambembe de Melhor Atriz - Milene Perez

QUIXOTE CABOCLO

A história inspirada nos poemas de Patativa do Assaré, traz um caboclo que após aprisionar um pássaro conta histórias e causos de sua vida para que a ave volte a cantar. Este espetáculo recorre às linguagens do teatro popular, teatro de animação e danças tradicionais.

CASOS CASCUDOS

É um espetáculo inspirado livremente em três contos recolhidos por Câmara Cascudo. A montagem utiliza bonecos com diferentes técnicas de manipulação, e conta histórias repletas de suspense, humor, mistério e romance. Elas falam de monstros horripilantes e moços virtuosos em “As Perguntas de Dom Lobo”, amedrontam e divertem com caveiras horripilantes em “A Moça e a Vela” e emocionam com donzelas românticas e madrastas terríveis em “A Menina da Figueira”.

REISADO DA BORBOLETA, DO MARACUJÁ E DO PICA-PAU

Nesta adaptação do Reisado sergipano recolhido por Silvio Romero, o pequeno redentor, filho de Maria, recebe vários presentes por ocasião de seu nascimento; um pé de maracujá do Vaqueiro, um ramo de sândalo da Borboleta e uma pequena cabaça do Pica-Pau. A terrível Bernûncia, uma espécie de bicho papão, devora todos os seus presentes, mas é obrigada a devolver tudo, graças ao Bumba-Meu-Boi que expulsa o bicho malvado e entrega as prendas ao pequeno salvador.

FAZENDA DE PAPEL

Dois catadores de papel de um grande centro urbano, ao final do “expediente” começam a conversar sobre o caos da metrópole.

 

Saudosamente recordam-se das bucólicas cidades de onde vieram com o sonho de melhorar de vida. As lembranças representadas por bonecos e objetos de papelão é a surpresa das aparições e a deixa para confusões e risos.

 

Todos os bonecos, cenários e objetos nascem do papel e das caixas de papelão que os personagens recolhem das ruas. Fazenda de Papel mostra, que inventar histórias e desenvolver personagens é uma atividade ao alcance de todos, bastando, muitas vezes, apenas uma caixa de papel.

FOLIA DA TRIBO

É um show teatral que celebra os folguedos, as danças, as músicas e ritmos populares brasileiros. Com este riquíssimo cenário, o grupo mostra poeticamente características do povo brasileiro através de sua ampla diversidade cultural.

 

Da festa do Bumba-Meu-Boi até o Carnaval, do Forró ao Caboclinho, dos Pigmeus às Burrinhas, da Ciranda aos Bonecos Gigantes, são estes os “personagens” deste espetáculo sem texto e com muita música. Seis atores/músicos tocam, manipulam bonecos, cantam e dançam as festas dos quatro cantos do Brasil.

O HOMEM PALCO

Espetáculo de bonecos ambulante, representado pelo Homem Palco e o Brincante que se deslocam pelo espaço, criando um novo ambiente cênico para cada conto.

 

Em contos do Brasil: “A Princesa Sabichona”, “O Marido da Mãe D'àgua” e o “Sapo com Medo de Água”. Ao final de cada história a empanada

 

Em contos d'água: “Iara a Rainha das Águas”, “O Guardião da Fonte” e “Bicho do Rio”, desde instrumentos típicos deste folguedo (pandeirão, matraca, zabumba), até outros não convencionais, fazem uma rica viagem musical através de ritmos regionais.

BICHO MONJALÉU

Livre adaptação do conto de origem européia “O Bicho Monjaléu”, recolhido em Sergipe pelo grande folclorista Silvio Romero.

 

Nessa história o jovem Zé Gamela sai pelo mundo à procura de suas três irmãs raptadas por reis com poderes mágicos.